NEUROFEEDBACK

O que eu tenho ?
tenho

OBJETIVO – IDENTIFICAR POSSÍVEIS DESREGULAÇÔES NA ATIVIDADE DE ÁREAS E ESTRUTURAS DO CÉREBRO QUE PERMITAM DETERMINAR, DE FORMA OBJETIVA, A NATUREZA DO COMPROMETIMENTO, CONFIRMANDO OU NÃO DIAGNÓSTICOS EVENTUALMENTE RECEBIDOS.

Inicialmente deve-se agendar uma consulta de avaliação, em que se realiza a coleta da atividade eletroencefalográfica (EEG) do paciente, o que fornecerá três níveis de informação fundamentais:

a) assinaturas neurológicas

b) mapas de distribuição topográfica da atividade cerebral de superfície (Mapas Q)

c) tomografia funcional da atividade de áreas e estruturas profundas do cérebro (LORETA).

 

 

A análise destas informações permite:

a) determinar, de forma clara e objetiva, diante de que comprometimento se está, confirmando ou não diagnósticos anteriormente recebidos.

b) a elaboração de protocolos específicos e individualizados de treinamento neurológico para as áreas e estruturas cerebrais que eventualmente apresentem comprometimentos identificados. Uma vez determinados os protocolos de treino neurológico, inicia-se o tratamento por Neurofeedback.

Como resolver ?
resolver

OBJETIVO– TRATAMENTO DO PACIENTE ATRAVÉS DE TREINAMENTO NEUROLÓGICO VISANDO CORRIGIR POSSÍVEIS DESREGULAÇÕES NO CÉREBRO RUMO A UM PADRÃO DE NORMALIDADE, COM A CONSEQUENTE REDUÇÃO OU ELIMINAÇÃO DA QUEIXA APRESENTADA PELO PACIENTE.

O treinamento neurológico por neurofeedback se dá por sinalização sonora e visual, de acordo com parâmetros pré-estabelecidos quanto à adequação ou não da atividade cerebral em curso, que viabiliza a aprendizagem neurológica e, com isso, a modificação de sua atividade.

Atualmente, este treinamento é extremamente sofisticado,  envolvendo a leitura e o processamento simultâneo de até 8.000 medidas eletroencefalográficas simultâneas, aí também incluindo-se o treinamento de estruturas profundas do cérebro.

As sessões tem duração média de 45 minutos, sendo 20 minutos de treinamento neurológico propriamente dito.

Novas avaliações são realizadas periodicamente, para determinação da evolução do quadro neurológico e clínico do paciente, bem como da eventual necessidade de mudanças nos protocolos de treino.

Tratamento

tratamento com neurofeedback

 

 
Esta régua de cores fornece uma escala de Z-Scores (desvios-padrão), de acordo com a idade e sexo de cada paciente, sendo a cor verde (z=0), a referência de normalidade, para as duas primeiras linhas de cabeças dos mapas. As cores mais frias (para o azul) e mais quentes (para o vermelho), indicam deficiência e excesso de atividade, respectivamente.